Eu não sou promíscua. Mas sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro. C.L.



segunda-feira, 30 de abril de 2012

Hey amigo

Deambula, mexa-se um pouco mais.
Ela deambula, nas tuas avenidas e ruas.
Poe os homens, aos seus pés tão ternos.
Barcelona o faz compreender que
ela se engana, por qualquer que seja a emoção.
Ela se engana pois ela é como tu, um gato que ondula,
que faz suas peripécias.
Ela escapa de raspão.
Hey amigo,
Ela quer o alto, ela quer tua pele.
Ela está sobre as tuas costas, uma tatuagem.
Hey amigo, ela quer a beleza de um amor sem maquilagem.
Deambula mexa-se um pouco mais.
Ela deambula nas tuas avenidas e ruas.
Coloca o véu em sua doce face.
Barcelona a põe de refém.
Ela se entrega, qualquer que seja o peso.
Ela se entrega pois ela é como você, um gato,
que minoda e sauda o homem
Ela manipula aquele que diz não.
Hey amigo, ela quer o alto, quer tua pele.
Está sobre tuas costas, uma tatuagem.
Hey amigo ela quer a beleza de um amor sem maquilagem.

Alizée