Eu não sou promíscua. Mas sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro. C.L.



quinta-feira, 30 de julho de 2009

tão longe, mas nem tão perto.

Quando estavam juntos a distância se dava pelo olhar e a medida que iam se distanciando as mãos se cruzavam e o olhar era fixo. A noite cada um permanecia em casa e nisso trocavam beijos e juras de amor. Pela manhã um -bom dia, e suavemente um beijo na testa, depois um telefonema para saber se a noite foi boa. Ao passar dos dias enquanto se adoravam aos beijos, sentiam uma enorme saudade pela distância que o separavam.