Eu não sou promíscua. Mas sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro. C.L.



sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Então eu soltei a cordinha que te prendia ao meu dedo e te deixei voar.

Karla Thayse Mendes
E bem que no meio do dia você poderia aparecer de surpresa. No meio de uma discussão me roubar um beijo. Em um dia qualquer deixar um bilhetinho no espelho. No meio da noite me acordar para gente se amar. Em um dia especial encher a casa com flores. No meio de uma despedida me agarrar pela cintura. Enquando se arruma me puxar pra debaixo do chuveiro. E quando eu menos esperar fazer-me sentir amada.
Sabe porque eu fico brava?
Porque eu não consigo mais viver sem seu abraço. E as vezes, você faz coisas que eu já vivenciei um dia e vi que não deram certo. E é justamente por eu gostar de você que eu fico brava, porque eu sei que mais cedo ou mais tarde eu poderei passar por aquilo que eu tava passando há algum tempo.
Você sabe que está gostando de alguém quando passa a pensar demais no amanhã.
Tem dias que você some mas, quando reaparece compensa todo o tempo perdido.