Eu não sou promíscua. Mas sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro. C.L.



quinta-feira, 18 de agosto de 2011

E. Queria estar amando.
C. Mas não está?
E. Mas amando alguém.
C. E sua família?
E. Pois é, alguém que faça parte dela.
C. Um irmão?
E. Não, isso não conta.
C. Melhor amigo?
E. É, pode ser.
C. Mas como assim amando?
E. Ah, amando, só amando.
C. A mando de quem?
E. Do destino.
C. Amando quem?
E. Alguém, não sei bem quem.
C. Você o conhece?
E. Mas que a mim.
C. E como é?
E. Agora não posso dizer.
C. E porque não?
E. Porque quando a gente ama a gente não sabe direito, não fala coisa com coisa.
C. E se você o amar para sempre?
E. Ia ser adorável.
C. Mas dai não iria saber denifir nunca?
E. E tem coisa melhor.
C. O que, não saber definir?
E. É, ia caber só a mim.
C. E porque amar?
E. E porque não?
C. Mas e porque...
E. Ah coração, quer saber? Me deixa em paz!


C. ♥.
E. eu.