Eu não sou promíscua. Mas sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro. C.L.



segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Ela retribuiu
e então
ele
deu-se conta
tudo e seu paradeiro
não voltou no tempo
mas viu, era verdadeiro.
Ela acercou-se
não está mais solitário
pelo menos naquele instante.
Ela o viu, ele sorriu.
Ela pediu
perdão, dar-te-ia o coração.
Ele disse paixão, caio mais nessa não.
Ela quis voltar, ele quis voar.
e voou.
Ela pediu mais uma vez, ele falou com sensatez
deixa disso menina,
vai-te buscar em outro céu, outra colina.
Ele retribui
e então
ela
deu-se conta.
- Mesmo com essa nossa distância, me promete que sempre às 9 horas vai olhar a lua?
- Sim, mas por quê?
- Porque eu também vou olhar. Olhando para a mesma coisa, na mesma hora, vamos nos sentir juntos, diminuir a distância, somar o tempo.




E nós, ingenuos, olhávamos todo santo dia para lua às 9 horas.