Eu não sou promíscua. Mas sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro. C.L.



sábado, 29 de outubro de 2011

Quando no meio da noite você abre a porta, se aproxima, vem para baixo das cobertas, se deita ao meu lado, põe o cabelo atrás da orelha, me puxa pela cintura, faz-me sentir você, nossa respiração, me olha enquanto seus olhos sorriem, aí então me beija e começamos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário