Eu não sou promíscua. Mas sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro. C.L.



sexta-feira, 4 de novembro de 2011

É engraçado, eu sei.
Esse modo como a gente se refere,
com receio que a gente congele.
É, congele. Não encontre o amor
nem sinta mais o calor,
que isso só cause dor.
Que não seja para sempre sentimentos esses,
os para sempre que eu conheço duram só alguns meses.
Não fuja do mundo,
se o fizer me leva junto.
Bem que você poderia repetir,
aquela frase que me faz sorrir.
Os sorrisos que saem do nada,
as mensagens de madrugada.
Você teimando comigo,
me fazendo fugir do perigo.
As palavras que só a gente entende,
aquelas que me fazem contente.
As canções cantadas cantarolando,
e eu aqui amando.
As conversas que nunca acaba,
e eu aqui querendo que nunca acabe.
Quer saber, esqueça tudo falado outrora,
venha bem pertinho mas não demora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário