Eu não sou promíscua. Mas sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro. C.L.



sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Vem, diz baixinho, sussurra.
Beija, morde.
Deixa eu te sentir.



Como diria Martha Medeiros, o ponto G está nos ouvidos. Inútil procurá-lo em outro lugar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário