Eu não sou promíscua. Mas sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro. C.L.



quinta-feira, 23 de junho de 2011




E para falar a verdade, no final do dia a gente só quer alguém para poder contar sobre o que a gente fez o dia todo, para fazer uma massagem e rir com a gente. E quando paramos para pensar cadê essa pessoa? Onde está aquela que sempre pensamos e pensamos; pensamos tanto que esquecemos do mundo. Vivemos a imaginar o dia em que viveremos da maneira como queremos, com quem sempre imaginávamos ter. É quando a vida te dá um empurrão e você descobre que a pessoa que tanto procurou está bem ao seu lado, te fazendo feliz como jamais imaginou ser feliz um dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário