Eu não sou promíscua. Mas sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro. C.L.



terça-feira, 13 de março de 2012

Ela não fazia o tipo de mulher que se deixava abater. Porém de vez em quando se tornava uma menina que insistia em sofrer.

Um comentário:

  1. Quando levou o coração pra tomar sol, descobriu que o céu era imenso. O suficiente pra ela poder libertar toda dor e toda mágoa. Um dia tomou coragem e abriu a mão, o peito, o sorriso. Voaram pra longe...

    ResponderExcluir